9 de jul. de 2024

Como mulheres podem engravidar após tratamento do câncer de mama

O tratamento do câncer de mama pode causar infertilidade. Saiba como mulheres diagnosticadas com a doença podem reverter esse quadro, após a cura

No Brasil, mais de 57 mil mulheres por ano são atingidas pelo câncer de mama, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Quando iniciam o tratamento para combater a doença, mulheres com diagnóstico oncológico correm o risco de desenvolverem menopausa precoce e, com isso, perderem completamente a reserva de óvulos, impedindo-as de engravidar. Há uma saída para que, após o tratamento de radioterapia e quimioterapia, estas mulheres consigam realizar o sonho de ser mãe: a técnica de congelamento de óvulos e de ovário.

Segundo Daniel Diógenes, médico especialista em medicina reprodutiva e diretor da Fertibaby, o método de congelamento de óvulos é semelhante ao da fertilização in vitro. “A diferença é que o congelamento é feito antes da formação dos embriões. Para isso, a mulher recebe medicações para estimular o crescimento e amadurecimento dos óvulos e, quando eles estão maduros, são retirados dos ovários por punção ovariana, com uso de ultrassom e sob anestesia. Já para o congelamento de ovários é necessária a realização de uma cirurgia feita por vídeo-laparoscopia, procedimento minimamente invasivo e feito por meio de pequenos cortes no abdômen e na pelve para a retirada dos órgãos. Assim, eles podem ser congelados inteiros ou em partes em nitrogênio líquido, assim como os óvulos”, explica.

Segundo Daniel, o ideal em caso de diagnóstico de câncer é fazer os dois procedimentos, já que nenhum tipo de preservação de fertilidade garante totalmente uma gravidez futura. “Mesmo ainda sendo considerada uma técnica experimental, o congelamento de ovários permite à mulher voltar a produzir hormônios normalmente após o tratamento do câncer. Em termos de saúde e bem estar, fazer a reimplante dos ovários é a solução”, destaca o médico.

Fonte:

Clínica Fertibaby

Referência nacional na medicina reprodutiva, a clínica FERTIBABY chegou ao Ceará em março de 2016 com uma equipe de peso especializada em tornar realidade o sonho de ter um filho. Fundada em 2008, em Belo Horizonte, pelo médico embriologista Leonardo Meyer, a FERTIBABY coleciona altos índices de sucesso e se destaca pela procura de pacientes de todo o Brasil. Com a primeira unidade implantada fora do eixo Sudeste em Fortaleza, a clínica chega para atender a demanda das regiões Norte e Nordeste. A FERTIBABY Ceará, resultado da sociedade dos médicos Daniel Diógenes e Lilian Serio, funciona no Hospital Jório da Escóssia, com atendimento durante a semana, de 8 às 20 horas e, aos sábados, das 8 às 13 horas.

Tendo como diferenciais o atendimento individualizado com tratamentos específicos para cada paciente, a FERTIBABY estará sempre se aprimorando e evoluindo, ajudando na busca por um filho. Entre os procedimentos disponíveis, estão os tratamentos de alta complexidade, como: fertilização in vitro; congelamento de óvulos; espermatozoides e embriões E diagnóstico genético pré-implantacional (PGD); e de baixa complexidade, como: coito programado e inseminação intrauterina; além de exames como espermograma e de monitoramento da ovulação.